Christiane Torloni diz como superou a morte do filho

tor

Em “Chico Xavier”, o filme que conta a história do médium mais famoso do Brasil, em cartaz desde ontem nos cinemas do país, a atriz Christiane Torloni vive Glória, uma mãe que perdeu o filho, assassinado acidentalmente por um amigo. Infelizmente, Christiane conhece bem essa dor, e não só da ficção. Seu filho Guilherme morreu aos 12 anos, em um acidente com o carro que a própria Christiane dirigia. Hoje, quase 20 anos depois, ela se firmou como uma das atrizes de maior destaque da televisão brasileira. Mas diz que chegou a pensar em desistir da carreira enquanto enfrentava os primeiros momentos do luto. “Se meu instrumento de trabalho é o coração, como eu iria trabalhar com o coração despedaçado?”. Mas como é possível se recuperar de uma tragédia dessas? “Você tem de aprender a viver de novo sem um pedaço de você”, diz Christiane, que empresta a própria garra a seus personagens, sempre marcados pela persistência e pela força. Reservada, Christiane raramente fala sobre a perda do filho. Mas aceitou contar ao Mulher 7×7 , de sua casa, no Rio de Janeiro, sua história de superação.

 

Após a morte do filho, em 1991, Christiane e Leonardo, irmão gêmeo de Guilherme, fecharam-se em um auto-exílio em Portugal. O país despertara a curiosidade de Guilherme alguns meses antes do acidente, quando a mãe fora divulgar a novela Kananga do Japão. Com a morte de Guilherme, Christiane sentiu que lá era o lugar em que deveria “aprender a viver sem um pedaço”. Nos três anos em que passou além-mar, dedicou-se ao teatro em Portugal e veio ao Brasil para gravar a minissérie “Noivas de Copacabana”. Quando decidiu voltar definitivamente ao Brasil, aceitou um papel que era, no mínimo, um desafio: viver a Dinah, de “A Viagem”. A novela de Ivani Ribeiro, baseada no espiritismo, conta a história de um casal que morre e volta a se encontrar em outro plano. “Se eu não estivesse recuperada, não teria conseguido fazer a novela. Mas a dor de perder um filho não passa nunca. Já faz muito tempo e a única coisa que mudou foi a minha capacidade de lidar com a dor.”

 

E como é que se faz isso? “Você quer que eu lhe dê uma bula! Isso não existe”, diz Christiane com a voz firme, aquela que eu conheço de suas personagens cheias de determinação das novelas. Mas, quando sua memória parece tocar aqueles primeiros dias de coração despedaçado, como ela diz, sua voz se abranda. Tem o tom de resignação que só alguém que mergulhou em sua própria dor pode ter. “É preciso ser humano”, diz. “Ter paciência com o tempo, com você, com a dor. Isso é ser humano. Mas as pessoas não se dão mais esse direito.” Leia a entrevista na íntegra a seguir.

 

Christiane Torloni em cenas do filme "Chico Xavier" Christiane Torloni em cenas do filme “Chico Xavier” 

Mulher 7×7 – Perder um filho é uma das piores dores que um ser humano pode enfrentar. Como você conseguiu se refazer dessa tragédia?
Christiane Torloni – Uma mãe que perde um filho ficará para sempre de luto. Não existe ex-mãe. Vai fazer 20 anos que o Guilherme morreu. É muito tempo. Mas a única coisa que mudou foi a minha capacidade de lidar com a dor. Você precisa continuar vivendo, dia após a dia, lutar para vencer um de cada vez. É a mesma filosofia dos Alcoólicos Anônimos: “só por hoje”.

 

 
Muitas pessoas que perderam um ente querido dizem se sentir um peso para os amigos e para a família porque não podem mais falar sobre o assunto para não chatear ninguém. Você sentiu isso?

Existe muito essa cultura do “vamos lá, vamos para frente”. Mas é preciso respeitar essa pessoa porque ela está em dor. Chega a ser uma dor física. Precisamos ter paciência com a avalanche de emoções que se seguirão para se adaptar a um coração que nunca mais vai ser o mesmo. E o ser humano tem passado por cima dessa necessidade de se recolher, não quer ficar triste. Mas é dessa dor que vai vir a força para superar. Não se aprende só na alegria, mas também com a dor. Nesse momento, temos de ser humanos: ter paciência com o tempo, com você, com a dor. Isso é ser humano. Mas as pessoas não se dão mais esse direito.

 

E você conseguiu se dar esse direito?
Eu saí do Brasil, mudei para Portugal com o meu filho Leonardo. Entrei em uma viagem profunda, me respeitei. Fiz aquilo que os antigos faziam: encarei dar tempo ao tal do tempo. Ele é um remédio quando a gente tem paciência. Isso foi me dando força a voltar a trabalhar. Enquanto eu ainda morava em Portugal, voltei para fazer uma participação na minissérie “Noivas de Copacabana”, mas não foi legal. Eu ainda não estava bem. Estava em dúvida se continuaria sendo atriz. Se meu instrumento de trabalho é o coração, como eu iria trabalhar com o coração despedaçado? chico2

 

Como você decidiu seguir com a carreira?
Algumas pessoas que aparecem nas nossas vidas são como anjos. O Boni (José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, então um dos diretores da TV Globo) ficava me monitorando para saber se estava tudo bem, quando eu gostaria de voltar. A TV Globo me mandava cartas de pessoas que me escreviam e que tinham passado pela mesma experiência. Recebi até cartas psicografadas dizendo para eu não desistir. Eu fui para Portugal para ficar sozinha, mas, no fundo, eu não estava sozinha. Uma rede amorosa se formou em volta de mim. Quando Wolf Maia me convidou para participar de “A Viagem”, eu decidi aceitar antes de saber sobre o que era. Fazer a novela foi muito difícil, mas eu consegui porque havia transformado aquela dor.

 

Qual conselho você dá para uma pessoa que está passando por esse momento agora?
O melhor conselho é continuar vivendo. Tenha calma e vá sobrevivendo. Essa entrevista, por exemplo, não é para me promover. É porque ela pode ser útil para alguém, pode ajudar alguém. É por isso que eu também aceitei fazer o filme sobre o Chico Xavier.

 

*** Conheça outras histórias de quem descobriu a vida após a morte.

 

*** Siga o Mulher 7×7 no twitter.

 

 SAIBA MAIS

http://www.worldartfriends.com/modules/publisher/article.php?storyid=25661

29 comentários em “Christiane Torloni diz como superou a morte do filho

  1. Eu sempre soube desta sua historia, mas nunca tinha lido atentamente ao acontecimento. Tenho um filho de 1 ano, e nao me imagino sem ele…estou a 3 meses sem ve-lo, e me sinto angustiada, ms sei q o tempo, como voce mesma disse, eh sabio, e eu, so posso agradecer, pq estarei, se Deus quiser, com ele dentro de 1 mes….Mas assim eh a vida. Devemos sim, ficar tristes..poxa, sera q nao posso tambem sofrer um pouco? Temos q nos respeitar e sermos mais espiritualizados tambem. Um grande abraco a ti, mae guerreira, otima atriz. e grande pessoa!

  2. eu sinto muito, posso imaginar que você nunca superou esse sofrimento, eu as vezes mim imagino se eu poracaso perder minha mãe eu enloqueço, imagina você que perdeu um filho , eu quero. de coração que você supera tudo o que você passou, estou muito feliz por você tentar superar tudo. eu gosto como mãe e como uma atriz maravilhosa e também muito bonita

  3. Eu perdir um primo e toda vez que eu vou na cidade q ele morava eu lembro dele, nas votos e também nas minhas lebraças e nos meus pensantos e sinto muita falta dele , perdir meus dois tios é uma dor imessa e imagina perder um filho sintooooooooooooooooooooooooooooooooomuitooooooooooooo beijoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooos, Deus te darar todo o conforto que toda mãe precisa e ele te abençoa .

  4. Sim também perdi uma pessoa muito especial em minha vida uma grande amiga nunca pensei que fosse tão grande a dor de perde uma pessoa tão queria ñ era meu sangue mais eu amava muito.. dia 10 de agosto de 2010 ira fazer 1ano que ela se foi..

  5. fkei feliz pela superação !!
    nao dve tr sido facil…
    te amo chris……desejo à vc felicidade p vida td!!
    eu acredito em chico xavier…no q ele prega!!adoro espiritismo!!!mas sou catolica!
    de onde seu filho estive!ele ia fkr mto alegre cm sua superação!pq acima de tdo jesus te ama,assim cmo ele tbm…!TE AMO DEMAIS!!ah vc tva demais no papel n flme!!
    so assistir pq adoro vc e acrdito em chico!!bj linda!sou ANDRESSA,TENHO 15ANS VIU!!
    TE AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO….ETRNAMENTE!!!

  6. eu te admiro e perdi meu filho fazem 8 meses e tudo que tu disse parece ter sido d minha boca é assim que me sinto e tento levar minha vida! força sempre para nós…bjus

  7. Tem um ano e dez meses que perdi minhasobrinha com 16 anos com uma doença cancer em 2 meses ele foi avalastador , cris amo muito o seu jeito de ser voce pareçe ser uma pessoa maravilhosa, vim te pedir como vc passa pelo mesmo problema , minha irma que perdeu sua unica filha estar louca, sendo dopada desde a morte de minha sobrinha , uma tristeza enorme , sei que vc e uma pessoa muito ocupada , uma atriz famosa, mas alem disso tudo vc e humana e gostaria que vc falasse auguma palavra para minha irma , estou desesperada pois acho que vou perder minha irma tambem, obrigada por tudo o nome dela e Fatima .

  8. Só de ler essa entrevista fiquei arrepiada e meu coração doeu muito porque eu presenciei uma pessoa muito próxima que passou por isso e dói muito ver o sofrimento dela!!! Admiro muito a Christiane como profissional e pessoa porque apesar de todo o seu sofrimento que eu tenho certeza que nunca vai passar tem força para lidar com esse acontecimento!!!

  9. Eu gostaria de acreditar que um dia eu possa superar essa dor.Ele era meu unico filho,era minha vida,perdi o rumo e o sentido da vida,nada me dá mais entusiasmo,não tenho mais vontade de sair de dentro de casa,não tenho vontade de viver,vivo sozinha,tentando entender o porque, sem ter respostas para minhas perguntas,que Deus possa me dar forcas,já fazem dois anos,mas para mim é como se fosse ontem.
    Ele tinha só vinte oito anos,era alegre ,feliz,era pura luz.como faço pra viver sem meu amor.

  10. Estou vivendo isso , não é fácil muitas vezes pensamos em desistir , mas o outro filho , o esposo e não adianta procurar de quem é a culpa é viver dia a dia com olhar fixo

  11. também passei por um momento desses posso dizer que é uma imensa saudade fazem 10 anos mais parece que foi ontem

  12. eu perdi a minha mãe ja faz um ano e sete mêses….mais ainda sinto muita falta dela…. e não me coformei com a morte dela….eu emagino como e uma dor de uma mãe perde um filho…sei que não e facil…mas tem que seguir em frente a vida continua

  13. Perdi uma prima nun acidente , horrivel lembro sempre , mas enfim devemos andar para frente……… Querida espero que vc tenha superado . Fica com DEUS te adoro cesar .

  14. ACESSE OU CLICK

    Terceiro Dia
    Resgate
    Se sentir de luto até que um dia isso passe
    Luto até que isso passe um dia
    Eu pensei que nunca mais
    Nunca mais mesmo
    O que a vida me reservaria

    No terceiro dia, ele se levantou como vivo
    No terceiro dia, não haviam mais lágrimas
    No terceiro dia, diante de homens, anjos e demônios
    Ele trouxe a vida de volta pra nós

    Todos já se levantavam e voltavam pra trás
    Não havia mais ninguém ali
    O inferno festejava, parecia o seu dia
    Mas havia alguma coisa guardada.

  15. Terceiro Dia
    Resgate
    Se sentir de luto até que um dia isso passe
    Luto até que isso passe um dia
    Eu pensei que nunca mais
    Nunca mais mesmo
    O que a vida me reservaria

    No terceiro dia, ele se levantou como vivo
    No terceiro dia, não haviam mais lágrimas
    No terceiro dia, diante de homens, anjos e demônios
    Ele trouxe a vida de volta pra nós

    Todos já se levantavam e voltavam pra trás
    Não havia mais ninguém ali
    O inferno festejava, parecia o seu dia
    Mas havia alguma coisa guardada.

    VIVER NESSA FORMA NÃO DÁ NÉ

    MESTRA EXTRAORDINÁRIA

    CHRISTIANE TOLORNE

  16. Parabéns a vc Cristiane, que Deus a proteja e lhe dê muita força sempre. Infelizmente, eu, não consegui superar a perda do meu filho, faleceu em 2003 aos 17 anos, tomo remédios fortes e sinto-me totalmente fraca mediante a dor, às vezes inconsciente.
    Que Deus me dê a mesma força que vc teve.
    Bjos

  17. Minha dor é tanta que não sei nem como começar a contar … em 1996 perdi um filho de 14 anos em um acidente de carro, ainda me dói muito a saudade, demorei muito para aprender a conviver com a perda dele, em 2009 foi descoberto um cancer adiantado na minha filha de 23 anos, depois de lutarmos dois anos e oito meses, ela faleceu dia 01 de setembro de 2011… não sei nem dizer o que sinto agora, tudo me dói, a vida perdeu o sentido, minha luta agora é sobreviver pelo meu filho mais velho (meu único filho agora, tinha 3 filhos), que já é casado, tem sua vida e familia, e eu luto para continuar a viver, não está fácil…Perder um filho é difícil, mas dois e em condições diferentes é muito pior, as vezes parece que nada mais tem importancia.. Realmente depois de um tempo, ninguém mais quer falar no assunto e se a gente for falar parece que estamos “querendo sofrer”, a impressão é que não nos é mais permitido falar dos nossos filhos que se foram…

  18. Que história hein Vera?….
    Eu nem tenho como imaginar a dor que vcs sentem.
    Tenho uma filha de 8 meses e não me vejo vivendo sem ela.
    Primeiro que vcs são dignas de admiração, pela força.
    Existe considição de perder um filho? Acho que não.
    Cada relato que li tras umas dor, uma lagrima, um momento de pedir para deixar de viver.
    Parabéns as batalhadoras e sobreviventes desta vida que em momentos nos parece tão injusta.

  19. Haverá em voce,uma força que te levantará,e aos poucos sua vida fará sentindo outra vez,E preciso crer pra ver.Fique com Deus .

  20. Sei exatamente o que é a dor e o sofrimento de perder um filho, pois esta é realmente a verdadeira perda que alguém pode ter. Só dá para avaliar quem perde um filho amado. Da mesma forma que um filho nós dá a maior felicidade quando nasce e chega aos nossos braços, como a verdadeira luz da vida, a partida de um filho nos faz conhecer a inigualável e indescritível dor. É quando a vida se vai e que você permanece sobrevivendo a este momento avassalador. Tudo que foi um dia bonito, torna sem graça, sem cor e sem razão para continuar. É quando a dor chega e fica como sua companheira para sempre. É quando não se consegue ver a luz e o brilho do sol, tudo é distante, por isso não acredito em superação na perda de um filho, pois não existe mais sorriso, alegria, abraço confortante, pois seu filho não volta, e esta é a certeza mais cruel e inconsolável. Você caminha pela margem da vida, onde os dias passam e passam, e nada muda, nada faz retornar a felicidade de ter o filho amado de volta. Com esse tormento n’alma, o que você apenas deseja é reencontrar o seu amor numa outra dimensão, pois só assim uma mãe que verdadeiramente ama terá paz. Com o coração dilacerado somente aguardo o dia em que o meu único e amado filho Lucas me receberá em algum lugar acima das nuvens.

  21. Nesta pequena missiva quero expressar o meu respeito a dor das mães que perderam um filho. As palavras da Vera expressam exatamente o que sente uma mãe que sofrerá para sempre, e que diante do mundo e das pessoas tudo passa e segue, mas para nós que tivemos de experimentar essa amarga e incompreensível dor que Deus nos impôs a facear, nos acompanhará por toda nossa caminhada aqui. Sofrerei sempre a perda do meu único e amado filho e de sua namorada, que também partiram muito jovens, sendo ceifados da vida com apenas 19 anos.
    Vera, fica aqui o meu respeito a sua dor, que sei muito bem que é indescritível.

  22. Sua história e muito triste vc foi e sempre será uma guerreira, eu não sei oque faria se perdese meu filho não sei qual seria a minha reação previro nem pensa nas deciçõe que eu tomaria nessa hora,
    Eu não sei a dor de perdeum filho mais imagino e grande de mais fique com Deus….

  23. Acreddito que só sabe a intensidade da dor quem realmente está com ela,Eu também perdi meu filho muito amado de 18 anos faz 10 meses dia 6 de janeiro de 2012. mas é como se fosse hoje. E realmente quanto mais o tempo passa mas a gente se sente só porque as pessoas não querem falar do assunto de dor, é aí aonde eu falo a dor é da mãe e não das outras pessoas a mãe que tem que aprender a conviver com a sua dor, sosinha. Vejam a quem recorri, ao Senhor meu Deus, o pai dos desamparados pois é assim que me sinto. Sou Católica e a fé neste momento ajuda e abre as portas deste universo que é Deus.

  24. Rosalina, mesmo sem nos conhecer, quero compartilhar a minha dor de mãe contigo, assim como todas as mães que perderam um filho amado. Sempre venho a este espaço para desabafar meus sentimentos de mãe inconsolável. Nessa caminhada de dor, podemos muito bem afirmar que sempre lembraremos deles, e dentro dos nossos coraçõres e alma. E parece inimaginável que todos os meses a cada data da fatídica data que nós perdemos nossos filhos, ficará sempre marcado. Como é vida!.. Conforme diz a mãe da namorada do meu filho, que a cada mês que passa, este dia é lembrado, incrível. A dor é indubitavelmente mais pontual; pois o que não fazíamos quando eles estavam com a gente, comemorando a cada mês o nascimento deles, hoje lembramos, mesmo que tentemos fugir., o dia, aquele dia de cada mês, que nos faz voltar ao tempo e não acreditar no que aconteceu. A explicação é única: jamais pensavámos que poderíamos perder nossos filhos. E por isso, esse tempo que passa, um mês, cinco meses, 1 ano, dez, vinte anos (quero não estar aqui para isso), estaremos sempre lembrando e nos maltratando interiormente. Uma coisa eu aprendi, a felciidade de antes pode dar lugar a dor que jámais sairá. A dor é sempre implacável.
    o meu abraço carinhoso
    fatima
    ,

  25. Nossa christiane imagino como deve ser um sofrimento de uma mãe perder um filho aquela pessoa que foi gerada com amor e você esperou nove meses pra nasce pra ve aquele rostinho de uma criança tão inocente que não sabe nada da vida um anjo ir embora pra gente nunca mais ver e muito triste e sei que não e fácil lidar com essa dor que nos mata por dentro mais penssa positivo tem muitas pessoas que precisam de você como seu filho Leonardo e toda sua família até seus fans precisam de você de uma certa forma então força , paz e alegria que você merece levantar sacudir a puera e da a volta por cima bjssssss nos te amamos muito

  26. Fatima, ao ler seu comentario me senti bastante confortável pois sei que que terá sempre alguem para falar da minha dor. Depois vou comentar um pouco sobre meu filho amado como ele era e como se foi agora nem consigo pois choro muito quando escrvo sobre ele . Um grande abraço, Fatima

  27. Christiane Torloni,sempre amei seus papeis,e sempre me emocionei e me emociono ao falar da sua personagem Dinah que marcou muito a minha vida.Depois ao ler a sua entrevista da qual eu ja havia ouvido falar,na perda do seu filho,mas so agora fiquei por dentro do ocorrido de verdade.Entao por estar lendo e saber de voce mesma em entrevista,que voce aceitou o papel da Viagem sem mesmo saber do que se tratava realmente,as lagrimas nao param de rolar,me emocionei ainda mais.Peço a Deus por voce ,e pelo seu filho claro que esta em um lugar lindo e em paz e que DEUS possa estar te dando a cada dia de muita Luz , Paz,Saude para que voce continue nos alegrando e nos emocionando sempre.Amo voce grande guerreira,grande atriz,grande pessoa,grande ALMA…
    Beijos no coraçao

    Lucia Helena Felipe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s